quinta-feira, 17 de agosto de 2017

A sentir-me frustrada

daqui

Achava que já tinha falado sobre isto no blog, mas não encontro. Se calhar não o fiz. Não importa. Hoje venho desabafar um bocadinho. Preciso de desabafar um bocadinho. A minha sobrinha C., tem um problema que se chama encoprese e que consiste na incapacidade de prender o cocó e suja com frequência as cuecas. 

Já pesquisei bastante sobre isso para dar mais informação à mãe. Há meses que a mesma já foi aconselhada por um pediatra a procurar ajuda psicológica para a miúda porque por a+b concluíram que ela não tinha nenhum problema a nível fisiológico. 

E vocês acham que já o fizeram? Claro que não. A miúda continua tal e qual. Quase a entrar na primária, continua tudo igual. E quanto a mim, já desisti de conversar com a mãe sobre isto, tratei de arranjar um homeopático indicado que iria tratar a parte emocional também, e ela deve ter feito o tratamento um dia ou dois. 

Cansei-me de tentar ajudar porque eles sabem o que é que podem fazer. E podem fazê-lo se quiserem, mas tira-me do sério que coloquem as idas ao cabeleireiro e esteticistas à frente. Mais as massagens para relaxar, os motocrosses e os jantares com os amigos à frente da miúda e ainda me digam que pelo privado, uma consulta é muito cara, e que aguardam que um amigo que conhece fulano lhes arranje consulta pelo público. Há meses! 

Há mais de três anos que a miúda sofre com isto. E sofre mesmo, porque os amiguinhos já começam a ter noção, a cheirar o fedor que dela emana, e claro, todos nós sabemos como os miúdos conseguem ser maus e cruéis nas suas palavras. 

E hoje sinto-me frustrada, porque a miúda dormiu cá em casa, e não fiz mais que limpar-lhe o rabo, e lavar cuecas. Pois onde está, assim faz, e fica lá a secar até nos apercebermos, porque ela não diz nada. Converso muito com ela, diz que sente quando faz, mas é incapaz de pedir para limpar sequer. Por ela, ter o rabo sujo ou limpo é igual ao litro. 

Na noite anterior a ter ficado cá, dormi mal a maior parte da noite, tenho andado com a garganta a chiar e sinceramente não ando no meu melhor no que à paciência e tolerância diz respeito. Por isso, sinto-me completamente frustrada comigo mesma, por saber que é uma criança com um problema e que eu é que sou a adulta e devia ter paciência, mas não consigo e acabo por barafustar. 

Tento medir as palavras que uso na frente dela, mas realmente isto é uma situação que se arrasta há imenso tempo. E fico possessa perante a inércia dos pais em resolver isto. Não os vejo a tomar nenhumas medidas que possam ajudar. Parece que comprar muitas cuequinhas resolve o assunto... 

Por exemplo, há uns dias estávamos com ela e a minha mais velha veio dizer-me que a prima C. já lhe cheirava mal outra vez. Uma vez que a mãe estava presente, chamei-a e disse-lhe que fosse ver a miúda que já estava suja de certeza. "Sim, sim!" foi a resposta dela e a miúda permaneceu de rabo cagado durante mais um bom tempo. A minha já nem queria estar a brincar com ela porque o odor era insuportável. 

Depois lembrou-se de pedir doces e o meu marido disse-lhe que não havia doces porque não tinha pedido para ir à casa de banho. Claro, que a mãe veio por detrás e lhe deu doces. Não têm qualquer sentido de causa e consequência, e a criança é a rainha da casa, faz o que quer e lhe apetece e tem sempre a última palavra. Cá em casa porém há regras, e ela tem de as cumprir. Assim, acho que cada vez que me pedir para dormir cá vou ter de contornar a questão. 

E é principalmente aos pais que aponto o meu dedo. Porque se se tivessem preocupado com educar, impor limites e acima de tudo tratar do problema quando apareceu, talvez as coisas não estivessem assim. Afinal de contas, são pessoas inteligentes e modernas. Nem sequer tratam de conseguir que ela coma mais saudavelmente porque também a ajudaria nisto. 

Não entendo, e pior, começo a não tolerar ter que apanhar com esta situação por tabela. O que custa, porque a menina é um amor e gosto imenso dela. Mas sinceramente, não preciso dessa dose extra de stress nos momentos que tenho em casa para estar com os meus. 

4 comentários:

  1. Isso é lamentável e sabes que merece um abanão. Tantas crianças que são sinalizadas por mais tratos e isso é um deles. Não resolvendo agora acredita que na escola primária se isso se arrasta os pais são chamados e a situação não pode ser esquecida para o bem da menina. Querem ver que o que acontece é normal??? Caramba imagino a tua frustração !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois sei, e andei de roda dela durante muito tempo, mas também custa bater contra uma parede, já que de nada adianta. Eu tb acho que seja maus tratos... eu tb tenho dois filhos pequenos, e é impensável para mim colocar as minhas vaidades à frente de uma coisa que claramente eles necessitem. Espero mesmo que sim, que eles sejam chamados à atenção e obrigados a agir de acordo. Infelizmente porém, a miúda ainda tem mais um ano pela frente. Gostava que isso fosse resolvido antes, caramba.

      Eliminar
  2. Não é fácil assistir a essas coisas e não poder intervir...
    Espero que tudo se resolva, pelo melhor para a menina que não tem culpa de nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Cat... também eu o espero, mas cm já disse no post, esta situação já se prolonga há cerca de 3 anos.. Não é normal.

      Eliminar