domingo, 16 de abril de 2017

Destes Dias #7


Dizia eu há uns dias que os miúdos estavam bem... não se pode falar, não é? Desde a passada quinta feira que o meu pequenino está doente. Como sempre começamos por tentar combater a febre com os homeopáticos, o que neste miúdo parece sempre não resultar. Se na irmã ao segundo dia já ela está boa, com ele acabamos sempre por desistir. Depois da visita da praxe ao pediatra (costumamos ir a um hospital privado, e somos imediatamente atendidos - felizmente não precisamos ir para o público esperar horas sem fim e sair de lá ainda piores do que entrámos), saímos de lá com prescrição de antibiótico para uma adenoidite. Coitadito do meu piolhito, isto anda mesmo mal de passar. Além disso está com uma conjuntivite. Todo entupido portantos

Entretanto o calor chegou e isto mais parece verão com toda a gente de calção e manga curta e até a fazer praia. Nós fomos lá em passeio também. Os miúdos estranharam ver tanta gente, estão habituados àquilo vazio. Mas lá encontraram um cantinho para brincar na areia. 

Este fim de semana, mais precisamente hoje, encontrei-me com uma amiga da blogosfera e nossas respetivas famílias. Os miúdos brincaram no parque e nos insufláveis e nós trocamos dois dedos de conversa. 

Logo depois, a mais velha e o pai foram ao circo. Eu já não vou há anos, não fosse o pequenino estar a arder em febre outra vez e acho que teríamos ido todos. 

Esta semana li mais, e mais teria lido senão fosse impedida de o fazer mais vezes pelo meu pequenino, que só quer colinho nos seus piques de febre alta. E haverá algum sítio melhor que o colinho de mãe nestes momentos? 

Voltei também a costurar, para mim, o que me deu grande alegria. E o melhor é que ainda estou com vontade de continuar a fazê-lo, o que é mesmo muito bom, visto essa vontade ter andado tão fraquinha nos últimos tempos. Tenho uma peça por terminar de costurar, uma com o tecido cortadinho e pronto para costurar, outra com o molde pronto (em papel) e outro à espera de imprimir... Vamos ver se a vontade não se vai e fica tudo por acabar. 

1 comentário: