quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Foi hoje!

daqui

Há muito tempo - mas muito mesmo - que digo que gostava de experimentar o yoga. Quando a minha filha era bebé, com cerca de um ano e pouco, fomos a uma aula para bebés - grátis, para ver como era. Sinceramente não gostei. Se calhar esperava outra coisa, mas passei a aula toda a correr atrás dela, porque não queria fazer nada do que a professora nos dizia. 

Os outros bebés eram mais novinhos que ela, ainda não andavam e ela sim. Achei que aquilo era mais direccionado para os mais pequeninos, e bem que a professora me dizia para a deixar à vontade, e eu tentava, mas a sala não era apropriada para tal e ela passou o tempo todo a tentar subir a umas cadeiras empilhadas, a esconder-se atrás de uma cortina que escondia material médico, enfim... detestei (ponto!). 

Este ano, soube que na escolinha dela teriam (para quem quisesse, claro) aulas de yoga como atividade extra. Entre o karaté e o yoga, ela escolheu o segundo, e diz que adora. Volta e meia fala das poses dos animais e faz toda entusiasmada. Cada vez que ela o faz, eu fico com vontade de o fazer também. 

E foi hoje. Meti a preguiça e o frio num saco (custou-me tanto mudar de roupa, entre uma coisa e outra), estendi o tapete no chão da sala e fui para o youtube à procura de aulas de yoga para iniciantes. Nem escolhi muito, carreguei o 1º vídeo e lá me dediquei àquilo com empenho. 

Correu bem. Gostei, mas confesso que tenho aqui uma costela a chiar. 
Deu para me dar conta que não tenho nem a metade da elasticidade que tinha há uns anos atrás, que os tendões estão todos atrofiados, que os músculos se cansam facilmente. Felizmente, também constatei que o equilíbrio continua muito bom. 

Nos meus tempos de escola - que tirando a altura em que me apaixonei pelo zumba e fiz várias aulas, foi a única em que fiz desporto - eu era boa. Acima da média mesmo, porém não gostava nada daquilo. Nunca gostei muito de ter de me mexer (a não ser que seja para sair e dançar, ai rebentava-me toda sem reclamar!). Mas claro, vários anos depois, dois filhos, e uma vida muito pouco mexida, deixaram-me toda entravada e o corpo está mesmo a precisar de uns "esticões" para ver se arrebita.  

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Destes dias #4

Estes dias! 

Estas semanas!

 Não há nada de interessante por aqui, em duas semanas, é a segunda vez que fico doente. 
A semana passada com uma gripe daquelas, quatro dias de cama. Esta semana, uma espécie de gastroenterite. 

A miúda, nas correrias com o pai foi com a cara contra um móvel e quase que afinfa o olho no canto do mesmo. Inchou e não fosse o arnidol teria ficado roxo como uma couve. Coitadinho, foi coisa para doer que se fartou. 

A semana passada também acabou mal para ela, com o seu primeiro grande desgosto, a sua primeira grande perda. Sim, era apenas um boneco, mas era um boneco carregado de sentimentalismo, que ela tinha desde bebé. E custou-me tanto, mas tanto, vê-la como ficou. Completamente inconsolável. 

Ao menos o miúdo tem andado bem. 

O pai, coitado, tem-se desdobrado em 10, a tentar dar conta do recado em casa, no pouco tempo que está por cá, quando eu mal me consigo mexer. A trabalhar durante mais horas porque o cunhado foi operado e a irmã precisa de sair mais vezes para dar assistência ao marido. 

A torneira de segurança da vizinha que começou a deixar passar água, e adivinhem lá à porta de quem é que está a torneira? Claro à minha. E quem teve de ligar para a câmara e limpar tudo, quem foi? Não foi ela com certeza, mais uma vez sobrou para mim. 

Queria ter coisas boas para contar, ser menos chata, mas tudo tem corrido assim a modos que um pouco retorcido. 

Ao menos uma coisa boa e interessante. Vi nevar (ao vivo) pela primeira vez!!! 


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Do nosso passeio - 4º dia (02-02-2017)

1º dia aqui
2º dia aqui
3º dia aqui

O nosso último dia! Não tínhamos muito planeado. Antes de deixar Celorico para trás, visitamos umas ruínas que sinceramente, nem um plaquinha a dizer o que era aquilo, os acessos horríveis, enfim... Depois, enquanto descíamos, lembrei-me que da última vez que andámos para esses lados adiámos a visita ao Portugal dos Pequenitos em Coimbra por conta dos fogos e estradas cortadas. Foi desta! Mais uma loucura para os nossos minis.











quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Do nosso passeio - 3º dia (01.01.2017)

1º dia aqui
2º dia aqui
4º dia aqui

O dia mais esperado pelos miúdos. O dia que subimos à Torre da Serra da Estrela. Mais do que a neve, fiquei encantada com o espetaculo que foi estar "acima das núvens". Não tenho tido muita sorte e de todas as vezes que lá fui havia pouquissíma neve. Esta deve ter sido a vez em que apanhei mais neve. Os miúdos fizeram sku, sboca, enfim... foi uma animação. 








terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Do nosso passeio - 2º dia (31.12.2016)

1º dia aqui
3º dia aqui
4º dia aqui

No segundo dia, fomos até à Guarda, onde preparavam o palco para o concerto dos Amor Electro que tocavam ali mais tarde. Ficámos com a vontade de os ver, mas acabamos por apenas jantar no Hotel Mira Serra, e depois recolhemos-nos aos nossos quartos. Com os miúdos atrás não nos apeteceu grandes aventuras. Visitamos o centro da Guarda, almoçámos por lá, e voltamos a Celorico para explorar por lá também. Estava tantooooo frio!!! 












segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Do nosso passeio - 1º dia (30.12.2016)

Este ano levámos os miúdos, pela primeira vez à neve. Tirámos uns dias de férias e andámos a passear durante os últimos dois dias de 2016 e os dois primeiros de 2017. 

O primeiro dia de viagem foi passado quase todo na estrada. Parámos apenas para almoçar e chegámos ao nosso destino, Celorico da Beira, a horas de jantar. 






2º dia aqui
3º dia aqui
4º dia aqui

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Ser "mulherzinha" ou não ser, eis a questão


Nem eu, nem a minha colega (nem mesmo a patroa) somos as típicas mulheres coquetes. Nada disso. Andamos sempre sem base, ou maquilhagem, de jeans e camisolas simples e confortáveis. 

Hoje ao sair, cruzam-nos com uma nossa outra colega de outros tempos e comentei como ela era "tão senhora". Não estávamos mesmo a criticar, muito pelo contrário, gostamos imenso da outra e acho que ela é que faz bem, estávamos só mesmo, apenas a comentar. Ambas concordámos que deveríamos ser um bocadinho mais "mulherzinhas" também, mas concluímos sem esforço que não faz o nosso estilo. 

Ela dizia que lhe custava imenso gastar dinheiro em roupa, já eu defendi que nem era só a roupa, e começámos a mencionar tudo o que era necessário para sermos mais "mulherzinhas"... a roupa, os acessórios todos, i.e. colares, pulseiras, anéis, malas, saltos (ou não), cabelo sempre impecável... e pronto... 

Não temos paciência para a coisa. 
Além disso, a outra antiga colega, não tem filhos, e nós duas temos, eu dois, ela um. Não é desculpa para uma pessoa descuidar da sua imagem, mesmo porque há mães coquetes que tratam muito bem da sua imagem. Mas eu; eu não estou disposta a acordar ainda mais cedo para me enbonecar quando já me custa tanto levantar-me cedo para me despachar a mim e aos miúdos pela manhã. 

Ah... e já agora, não me esqueci que fiquei de mostrar um pouco das nossas férias, fica para breve, prometo. 

domingo, 8 de janeiro de 2017

É tempo de balanços

Olá olá!
Isto dos miúdos terem ficado ambos doentes, do infantário dele ter fechado para férias, das festividades e da nossa escapadinha mais a norte, manteve-me longe do meu (e dos vossos) blog(s). O mais irónico disto tudo, é que este tempo que consegui agora, enquanto escrevo neste momento, passado da uma da manhã, vem do meu pequenino, aqui ao meu lado com 38,7º C de febre, depois de ter acordado a vomitar.


Mas pronto, ao que interessa, que já tinha muitas saudades de escrever por cá... Após o Natal começa-se a pensar na passagem d'ano e a fazerem-se os balanços e retrospetivas do ano que termina. Começamos a fazer planos, a traçar objetivos, as tais das resoluções que durante Janeiro, Fevereiro e vá, com sorte até Março, seguimos religiosamente mas que inevitavelmente acabam por desvanecer com o decorrer dos meses. 

Eu, que sou moça de listas e listinhas, também gosto de traçar uma com certas coisas que gostaria de mudar. De ano para ano, noto como muitas delas continuam lá, que eu continuo a tentar (ou se calhar nem tanto) mudar certas coisas, certos hábitos. 

O ano passado optei por deixar passar à frente esta vontade de ter tudo escrito, tudo delineado, não fiz quaisquer resoluções. Apenas tinha em mente que queria(mos) colocar o mais novo na creche aos dois (que fez a meio do ano) e que gostaria de arranjar um part-time, no qual pudesse trabalhar só pelas manhãs. 

E foi isso, o ano terminou e vejo como as únicas duas coisas que queria que realmente acontecessem, aconteceram. Mas outras coisas boas e outras não tão boas também aconteceram pelo meio, e quando penso neste 2016 em termos de balanço, acho-o positivo. 

Então vejamos... como já referi, colocámos o miúdo na creche em Setembro, e correu muito bem, pois teve uma excelente adaptação. A parte má, foi ter começado a fazer febres semana sim, semana não, praticamente.

Em Junho voltei a trabalhar depois de alguns anos como "mãe a tempo inteiro". Voltei para o mesmo sítio, mas em regime de part-time que era o que eu pretendia. Inicialmente ofereceram-me um contrato de 3-6 meses, mas estou prestes a fazer 7 meses lá... passou tão depressa.

Avançámos com as obras da outra casa que estavam paradas há anos... literalmente. E que bem que soube ver como não era tanto assim o que faltava e que num piscar de olhos tudo ficou mais próximo de alcançar no que à mesma diz respeito.

A nossa relação enquanto casal foi posta à prova por diversas vezes durante este ano, e andou tremia a maior parte dele. E isso foi das piores coisas do ano que passou. Mas por outro lado também tentámos melhorar as coisas, e ter mais passeios em família. O marido até tirou férias, embora tenham sido uns 4-5 dias apenas, foram duas as vezes que o fez, e parecendo que não, faz toda a diferença.


Acabámos o ano a passear. Subimos até Celorico da Beira onde dormimos 3 noites, passeámos pela zona, pela Guarda, e subimos à Serra da Estrela. Ainda demos um saltinho a Coimbra para levar os miúdos ao Portugal dos Pequenitos... mas sobre isso falo mais tarde.

Para 2017 tenho vários planos e desejos. Desejo continuar a trabalhar onde estou que estou muito bem. Quero mudar-me para a outra casa antes do meio do ano, e para isso precisamos, como já falei num outro post, de colocar as loiças da casa de banho, e de montar a cozinha. Claro que também vamos precisar de limpar, pintar e isso tudo. Estou ansiosa pelo momento de começar a decorar.

Tenho, um mealheiro para as férias desde que voltei a trabalhar, e nestes últimos 6 meses correu muito bem. Usei-o para esta escapadinha dos 4 dias e deu para tudo à vontade e ainda sobrou. Voltou para o mealheiro, que espero conseguir encher ainda mais neste ano, para as próximas férias. Sim, porque para este ano, quero mais passeios, mais férias em família outra vez.

Quero continuar a destralhar mesmo que aos bocadinhos esta casa, para poder levar o mínimo de excesso para a outra quando for tempo de mudar. Quero dedicar mais tempo a mim mesma, para costurar que ficou tão aquém em 2016, comparando com os anos anteriores e com o que eu gostaria de ter feito. Quero ler mais, muito mais. Quero escrever mais no blog, e mais cartas também. Quero ser, no geral, mais organizada e cuidar mais da minha saúde e da minha imagem.

Acima de tudo isto porém, quero ver os meus filhos a crescerem felizes, e sorridentes como eles só. Quero ter mais tempo e mais paciência para me dedicar a eles, e quero muito, muito que sejamos uma família feliz, e unida.

Um grande 2017 para todos os que nos visitam também.