Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

pensamentos de fim de ano


Sinto-me encalhada no tempo, que 2017 passou depressa demais, que a cada ano, passa mais e mais depressa. Sinto que ando há anos a tentar mudar as mesmas coisas em mim sem grandes resultados à vista. Claro, existiram melhorias, mas é uma luta constante. Sempre com este sentimento de estar encalhada no mesmo sítio há tanto tempo. E não, não falo de um espaço físico.

O balanço que faço deste ano até nem é mau. 

Continuo a trabalhar no mesmo sítio, num ambiente calmo, feliz, onde há respeito mútuo, onde vamos crescendo sempre juntas. Este é um ponto que pretendo que se mantenha em 2018, pois continuo muito satisfeita. Gostava apenas de conseguir ser (ainda) mais produtiva. 

 Dêmos continuidade à outra casa, embora não tenha sido possível mudar para lá antes do meio do ano como eu pretendia há um ano atrás. A cozinha atrasou-se imenso, e depois fomos nós que fomos fazendo aos pouquinhos, coisas que poderiam estar acabadas há meses. Porém, sozinha não consigo remar contra a maré e fazer milagres.  

Em Setembro fomos de férias novamente e mais uma vez com a ajuda, aliás, reformulo, completamente patrocinado pelo meu mealheiro. Mais uma vez, deu para tudo, e ainda sobrou (apesar de, depois ter ido para o carro, que avariou na volta atrás). Para 2018 ainda não temos férias planeadas, nem dias escolhidos, nem nada que se pareça... está tudo em aberto. Entretanto continuo a juntar tostões no meu porquinho para quando a oportunidade surgir. 

A parte de ser mais organizada na vida e em casa, andou assim assim. É aqui que andamos às voltas, sempre a tentar melhorar, sempre num pára-arranca de (in)sucessos. Em 2018 vou procurar focar-me nesse aspeto novamente. A questão aqui é nunca desistir. Destralhei bastante este ano, e isso ajudou-me, mas é algo continuo, que se deve fazer sempre. 

Voltei a costurar mais neste ano que passou e isso deixou-me muito feliz. Também voltei a ler mais, até comprei alguns (poucos!) livros novos. No início do ano desafiei-me a ler pelo menos um livro por mês. Não foi propriamente um por mês, porque alguns levei mais tempo a terminar, mas também existiram meses onde li mais do que um. De qualquer forma, se contarmos com o que estou a ler no momento, são 12, e mesmo que o ano chegue ao fim e eu não tenha terminado este, dou o desafio como vencido, principalmente se olhar para o que eu andei a ler nos anos anteriores. 

Para 2018 escolhi 3 palavras para ter sempre presentes, são elas:


* Organização * 
Na minha vida pessoal, no meu trabalho, na minha casa, na nossa alimentação, enfim, no geral. 


* Poupança * 
Mais para o fim do ano, dei por mim a gastar mais do que realmente precisava. O consumismo começou a agarrar-se a mim, por isso está na hora de correr com ele para longe e retomar as rédeas das minhas vontades. 


* Mudança *
Mudar o que precisa ser mudado. Concentrar-me na nossa própria mudança de casa. 

e no fim poder dizer...


Sem comentários:

Enviar um comentário