Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

E da casa que nunca mais arranca...


Esta situação da casa tem dado cabo dos meus nervos; é que nem isto nem aquilo. 
Nunca mais conseguimos arranjar tempo para ir terminando as merdinhas que ainda estão por acabar na outra casa, e eu vou perdendo o gosto por esta, já que não consigo ter tudo como quero - a iminência da mudança faz-me não investir nesta, tanto monetariamente como em dedicação (leia-se organização, arrumação, limpeza). 
Há muitos anos que sinto falta de móveis de arrumação ideal, mas uma vez que a outra casa tem sido sempre o plano, já há vários anos, achei sempre que era um gasto desnecessário mobilar esta exatamente ao meu gosto e dentro das nossas reais necessidades.
Esta falta de arrumação conveniente tem dado cabo de mim, ainda para mais desde que descobri aos poucos que sou uma pessoa desarrumada por ser demasiado picuinhas na forma como arrumo tudo. O que mais me custa é encontrar um sistema que funcione para mim. Depois de o encontrar, consigo ser consistente. Sempre achei que era pura e simplesmente desarrumada e preguiçosa, mas afinal, eu gosto é de ter tudo tão bem arrumadinho que quando não tenho tempo de o fazer, vou empilhando tudo até encontrar esse momento, e isso traduz-se em muitas pilhas, obviamente. 
Desde que tive os meus filhos, consegui gerir melhor tudo isso, primeiro porque deixei de ter um quarto só para as tralhas, e depois porque tinha mesmo que gerir o espaço para guardar tudo o que uma criança traz com ela. 
Nestes últimos dias, andei a destralhar com fé novamente. A atacar espaços pelos quais passava todos os dias e fingia que não estavam lá para não ter de lidar com eles. Ainda tenho alguns espaços desses, um deles mesmo à minha frente neste momento como a tentar-me, a mostrar-me que ainda estou muito longe de conseguir chegar onde quero. 
E a minha sanidade mental continua a ser posta à prova. Custa-me tanto saber que tenho lá no outro lado uma cozinha novinha em folha por estrear, estantes com arrumação, soluções práticas e simples que tenho procurado encontrar há tanto tempo. Há muito trabalhinho a fazer por lá, mas penso que se conseguir gerir tudo como tenho imagino as coisas podem correr muito bem. 
Queria mesmo mudar antes do meio do ano, mas já desisti de fazer planos quando sou a única a tentar cumpri-los. Há precisamente um ano, eu tinha a mesma esperança, de me mudar antes do meio de 2017, mas está visto que não correu como eu esperava. Começo a ficar saturada desta situação, cansada fisicamente deste 3º andar sem elevador e esgotada psicologicamente por saber que podia estar poupada disto há muito tempo. 

2 comentários:

  1. 3º andar sem escadas? [lol] então voam até lá??? (brincadeirinha).
    Quanto ao destralhar eu também tenho sempre essa miragem no meu horizonte! A casa nova até está destralhada... mas isso é só porque ainda tenho dezenas de sacos no anexo à espera de serem abertos! Felizmente não estão à vista... e assim posso fingir que está tudo em ordem!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol mesmo. Já corrigi... Sem elevador!!! De certeza q estava a pensar nas escadas. Hahaha
      Nu ca mais vejo tudo resolvido por aqui! :(

      Eliminar