Pesquisar neste blogue

sábado, 17 de setembro de 2016

Destralhando |CAOS|

Digamos que neste momento, caos é realmente a única palavra que me vem à cabeça quando penso na minha casa. E destralhar - mais - é, o grito cá dentro. Há vários dias que tudo se acumula por diversos motivos, e depois nem sei bem por onde começar. O marido até já me perguntou se não quero arranjar alguém que me ajude pois ando completamente stressada com o este caos, mas tenho esperança de o começar a domar agora que os miúdos estão ambos na escola/creche. 

Há um par de semanas, decidi que o ideal seria reduzir o número de móveis cá por casa, e consegui mandar uns dois para fora. Depois esvaziei uma estante de escritório, que aguarda a sua vez de sair também, no entanto nestes dias tenho pensado em manter a parte de baixo, que é fechada com portas. Ando aqui a tentar convencer-me que não é necessário. 

O problema desta ideia, é que para esvaziar os móveis que não quero mais em casa, tirei tudo o que tinha neles e enfiei dentro de caixas de papelão que me ferem a vista quando passo por elas. Muito do que contêm é papelada, que quero destralhar, mas dá-me sempre uma grande dor só de pensar em o fazer. 

Um familiar quer um dos móveis, ou dois. Estou desejando que os venha buscar para ficar com o espaço livre e reorganizar as peças que ficam, principalmente porque são do quarto de costura, que é a zona mais caótica da casa neste momento, e todo esse caos não me dá vondadinha nenhuma de  trabalhar nele, e não pode ser. Diz essa pessoa que vem esta segunda. Já falta pouquinho. 

a primeira estante já saiu do corredor, consegui arrumar os livros na sala e passei-a para dentro do roupeiro do quarto da costura onde arrumei alguns dos meus tecidos e livros técnicos. A sapateira do meio, passei para a entrada. A estante ao fundo, já esvaziei, é a que não consigo decidir se fico com a parte de baixo ou não. O saco de papel no chão, ao fundo tinha roupa para doar e já foi. 

 este é o meu quarto de costura, está ligado à cozinha e foi usado como sala de jantar durante muito tempo, por isso, está ai um frigorífico também. Hoje já estava bem mais caotico do que na foto. Ao fundo, vêe-se uma arca de madeira com imensa tralha em cima. Já a esvaziei e está agora no corredor no lugar onde estava a sapateira, mas é temporário. O destino dela é sair de casa também. 

O louceiro, aqui ainda cheio de tralha, está vazio e pronto para ir para uma nova casa. Vou ficar tão feliz quando o vir sair. É verdade que guarda muita coisa, mas quanto mais espaço tenho para guardar, mais tendência em guardar tralha que não preciso. Assim, sou obrigada a cortar naquilo que já tenho para fazer com que fique tudo organizado. 

4 comentários:

  1. Quando entro nessa fase fico muito perigosa e acabo por me livrar de coisas demais.
    Parece que se instala em mim uma compulsão por me livrar de coisas e, na dúvida, vai fora. :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a leveza é tanta que apetece mandar tudo fora não é? ahahah
      mas a sério, isto está feio por aqui, preciso mesmo de ar, ando super resmungona e babugenta, sinto-me a subterrar em tralha neste quarto, mas é também a tralha que mais me custa reduzir, pois acho sempre que me fará falta mais tarde.

      Eliminar
  2. Destralhar não é tarefa fácil, mas já começaste e isso é muitas vezes o mais difícil!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já comecei há muito tempo, nunca mais vejo é tudo acabado! lol

      Eliminar