Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Fim de semana (mais ou menos) produtivo

quem pode não adorar a Betty Boop?!

Sexta
Como só trabalho pela manhã, a sexta à tarde já sabe a fim de semana por aqui, mas não fiz nada. Preguicei a tarde toda, fui buscar a miúda cedo, mais tarde o miúdo e nem jantar fiz, trouxe-o o pai mais tarde. 

Sábado
Porém no sábado, não sei muito bem como, tendo os miúdos em casa, arregacei as mangas e voltei ao trabalho. Mudei os meus lençóis. Esvaziei uma arca de madeira - que tal como outros móveis que esvaziei antes, quero tirar cá de casa.  

Dentro da arca, guardava roupa do meu filho que ainda não serve e nem servirá tão cedo. Felizmente consegui fazer espaço no roupeiro deles para guardar tudo, ficou de fora o único saco de roupa dela que por lá estava também. Tudo casacos de inverno, quem sabe alguns deles já nem sirvam e possam sair de casa em breve. 

E sim, ela tem suficientes para o próximo inverno, por isso fico feliz de ir tirando mais umas pecinhas e passá-las a quem precisa delas. Dá um nó quando por algum motivo, gosto mesmo muito de uma peça ou outra, e isso também já lhe começa a acontecer a ela, mas quando não serve, ambas conseguimos largar com certa facilidade. Ela compreende que há outra menina que vai ficar feliz por recebê-lo e eu fico super orgulhosa da minha menina. 

Mais cedo, estivemos ambas a experimentar calçado nela - ele não tem paciência para essas coisas, é gajo, terá de ser à medida que for calçando. A maior parte do calçado do ano passado serve. Quando começou o verão despachámos logo aqueles que estavam a ficar pequenos, e só ficámos com aqueles que serviam mas que estavam ainda largos ou um pouco grandes mas que ela conseguia usar. Só tirámos dois pares para doar. 

Pensei em começar a ver as roupas também, principalmente porque os miúdos não têm calças de treino à mão e já começa a saber bem roupa mais confortável e menos fresca (se bem que por cá, desde que haja sol, está calor ainda!). Quanto à roupa de verão há uma quantidade dela que nem vale a pena guardar, de certeza que não chega ao próximo ano, outra que sim, mas pelo menos dela, serão poucas, estou certa.

Tirando isto da roupa e calçado deles, e ter esvaziado a arca, ainda dobrei dois cestos de roupa lavada - que não arrumei logo no sítio (eu só passo a ferro na hora de vestir, não tenho paciência para ficar horas a passar a ferro). Destralhei duas prateleiras do meu quarto de costura, tirei um saco xxl com um dos meus manequins de exposição, uma cabeça de cabeleireiro que usava há tempos como modelo para os meus acessórios de cabelo, alguns projetos manuais que comecei há imenso tempo e que nunca terminei e mais algumas coisas que fui enfiando para lá. 

Enchi uma máquina de loiça, e (vergonha!) era tanta que nem coube toda de uma vez só. Deixei o resto para o dia seguinte. À tarde ainda fomos a um aniversário e estava cansada demais para me dedicar a mais uma máquina de loiça. Loiça e roupa (sujas) são dois monstros horrorosos que crescem à velocidade da luz por aqui. 

domingo
No domingo voltei a ficar um bocadinho mais preguiçosa, mas ainda fiz umas coisas. Retirei e arrumei a loiça da máquina - geralmente é coisinha para ir ficando até precisar da loiça e ir lá buscar diretamente. Recolhi a roupa da corda, dobrei e guardei. Ainda fiz mais uma máquina de roupa e estendi a mesma. Dei voltas aos sacos de roupa guardados do miúdo, precisa de calças de treino e não tinha nenhuma de fora, sabendo que havia qualquer coisa num daqueles sacos, lá me mentalizei e joguei-me a ele. Tive sorte e acertei logo ao segundo saco.

Consegui também, enquanto arrumava a roupa dobrada - dar logo uma vista de olhos pelas roupas de verão deles que já não passam ao próximo ano, retirei-as e meti em sacos para doar. As dele saem ainda hoje de casa, as dele, possivelmente amanhã.

Há algum tempo que ando com a ideia de fazer uma casa de bonecas para a miúda, reciclando cartão, daquele das caixas. Há tempos tinha pedido algumas caixas à rapariga do café aqui do lado e tinha-as guardadas. Espalmadas não ocupavam muito espaço, mas ainda assim ocupavam algum, principalmente na minha visão. Foram parar à reciclagem, claro! Onde trabalho tenho facilidade de arranjar cartão e quando pensar mesmo na casa de bonecas, logo trago algum para usar na hora.

E pronto, foi isto. 

2 comentários:

  1. Temos os nossos dias, eu sou de marés baixas ou altas, onde não tenho ganas para nada que não o básico do dia a dia (lavar, fazer comida, etc)ou onde faço tudo e mais alguma coisa de tarefas sempre colocadas de parte e sabe tão bem, cansada mas a notar que as coisas melhoram e não ando só no mesmo de todos os dias... Começo a ficar bastante cansada de estar em casa, não de estar de lingua de fora mas de ter o meu juizo a prémio, este A éa minha prova de fogo de manter-me sã da cabeça ou de ensandecer... Uma ideia gira que funcionaria bem como casa de bonecas era uma espécie de dossel com tecido mais ou menos permeável à luz, eu em pequena adorava fazer tendas prendia a maçanetas de portas e afins e adorava brincar com as bonecas assim, é lavavel/desmontável e faz um vistaço um dossel preso ao tecto com um tecido muito cutxi cutxi ;o)Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reparei agora que deixei este comentário por responder, não?! Pensas voltar a trabalhar? O meu tb é bem mais dificil que ela e a paciência tb já não é a mesma. Ter voltado a trabalhar, mesmo que só a meio termo tem-me feito um bem tremendo, mesmo porque ele continua numa fase terrível em que só me quer a mim para tudo, e colo a toda a hora!!! A casa de bonecas que lhe quero fazer é tipo aquelas que existem à venda na Imaginarium, da Barbie, são das poucas bonecas com as quais ela gosta de brincar.

      Eliminar